Big Data: o que é e para que serve essa nova área nos negócios

Big Data recolhe e analisa dados de forma estratégica para garantir melhor percepção de cenários e melhores decisões na empresa. Entenda como usar Big Data nos negócios para gerar resultados.


Você entra no McDonald’s, pede o famoso Big Mac e, ao dar a primeira mordida, não imagina que ali tem muito mais que hambúrguer e queijo no pão com gergelim. Não, não estamos falando do picles e do molho especial: lá também tem Big Data!

O McDonalds usa dados que analisam o comportamento e as preferências de clientes e até mesmo de funcionários com objetivo de alterar rotinas e cardápios, escolher fornecedores e definir novas ofertas. A caixa registradora obviamente agradece.

Dados são considerados o novo petróleo e quem souber lidar com eles conquista grandes vantagens no mercado. É por isso que iniciativas baseadas em Big Data têm recebido investimentos cada vez mais altos de empresas de todos os portes. Ao mesmo tempo, profissionais que lidam com eles são disputadíssimos no mundo todo.

“Os CIOs (Chief Information Officer) precisam ir além de pensar e falar que dados são ‘o novo petróleo ’. As informações têm características econômicas únicas que as tornam potencialmente muito mais valiosas para seus negócios do que qualquer combustível fóssil.” Douglas Laney - Vice-presidente e Analista da Gartner.

Empresas com forte investimento em Big Data nos seus processos são referência mundial em quase todos os setores: Apple, Starbucks, American Express, Linkedin, Google, Uber e Netflix. Mas Big Data não está presente apenas nos gigantes da tecnologia e líderes dos seus mercados, até porque muitas dessas empresas começaram pequenas e só cresceram porque investiram continuamente em Big Data nos negócios.

Na verdade, algumas só existem porque toda a sua estrutura de negócios está baseada em dados, a Netflix é um exemplo icônico de como o avanço tecnológico pode trabalhar em conjunto com a criatividade humana. Eles utilizam o potencial oculto dos dados que podem ler a mente do usuário com uma precisão incrível.

Enquanto nem você sabe que filme quer assistir hoje à noite, eles já estão recomendando a sua melhor escolha. De alguma forma, estamos sendo vigiados o tempo todo e isso parece assustador.

Mas, para os negócios, Big Data representa um avanço mais do que significativo na previsibilidade de tendências e observação de hábitos. Os dados permitem oferecer experiências diferenciadas e mais pessoais aos usuários, com reflexos também significativos nos resultados.

O que é Big Data?

A definição considerada mais confiável foi criada em 2001 pela consultoria americana Gartner:

“Big Data faz referência ao grande volume, variedade e velocidade de dados que demandam formas inovadoras e rentáveis de processamento da informação, para melhor percepção e tomada de decisão.”

O termo Big Data tem uma história recente, mas muitas das bases nas quais ele foi construído foram estabelecidas há tempos e o World Economic Forum tem um artigo que detalha essa impressionante linha do tempo: A brief history of big data everyone should read.

Nos últimos anos a evolução do Big Data ficou ainda mais acelerada, acompanhando o crescimento dos dados, disponibilizados tanto pelo avanço da tecnologia digital e dos softwares de processamento, quanto pelos novos hábitos de consumo, incentivados pela ascensão do e-commerce, aplicativos, recursos de geolocalização e uso intensivo das redes sociais.

O Big Data impactou a forma como novos negócios surgiram e escalaram de forma vertiginosa, mas também como alguns gigantes do mundo corporativo passaram a atuar e investir no processamento e análise de dados para orientar decisões. Por seus insights poderosos o Big Data nos negócios gera impacto na sociedade como um todo.

“Os famosos 3 V’S”

A própria definição de Big Data contém os três Vs, na verdade três partes essenciais que representam as dimensões orientadoras da quantificação de Big Data:

Volume

Refere-se à quantidade de dados e isso importa muito. O Big Data processa grandes volumes de dados não estruturados de baixa densidade. Os dados podem ser de valor desconhecido, como os feeds do Twitter, fluxos de cliques em páginas da web ou em um aplicativo para mobile, ou ainda um equipamento habilitado para sensores.

Velocidade

É a taxa mais rápida na qual os dados são recebidos e talvez administrados. Normalmente, a velocidade mais alta dos dados é transmitida diretamente para a memória, em vez de ser gravada no disco. Alguns produtos inteligentes habilitados para internet operam em tempo real ou quase em tempo real e exigem avaliação e ação em tempo real.

Variedade

Refere-se aos vários tipos de dados disponíveis. Tipos de dados tradicionais foram estruturados e se adequam perfeitamente a um banco de dados relacional. Com o aumento de Big Data, os dados vêm em novos tipos de dados não estruturados. Tipos de dados não estruturados e semiestruturados, como texto, áudio e vídeo exigem um pré-processamento adicional para obter significado e dar suporte a metadados.

Como aplicar Big Data nos negócios

Por onde passamos, dos caminhos do Uber às pesquisas no Google, da tela da TV à tela do celular deixamos dados importantes que são rastreados para que as empresas possam oferecer produtos, serviços e experiências personalizadas e relevantes.

Os dados também oferecem novas e modernas práticas de gestão, alterando os resultados. Mas o Big Data vai muito além e pode ser usado tanto para que as cidades sejam mais inteligentes e seguras, como na medicina preventiva ajudando a salvar vidas.

data has a better idea franki chamaki unsplash

 

As possibilidades se multiplicam na mesma velocidade que novos dados são acessados e processados e novas tecnologias incorporadas ao cotidiano das pessoas e das empresas. Ao fornecer novas ferramentas para monitorar e analisar o comportamento de consumidores, o Big Data está mudando a forma como os produtos são concebidos e fabricados.

Uma das maiores empresas de comércio eletrônico do mundo, o Alibaba acompanha o que consumidores estão falando e procurando e até mesmo os produtos que não conseguem encontrar. Analisando dados de mais de 600 milhões de usuários ativos mensais, o Alibaba identificou lacunas no mercado e alertou empresas de varejo para preenchê-las.

Ok! você nem está na China, mas certamente já encontrou uma Starbucks no seu caminho. Saiba que a famosa cafeteria não abriu aquela loja por acaso. Está tudo baseado em dados. Aceita um café? Ele também contém dados e quando você entra na loja continua deixando dados que vão gerar novas experiências para os clientes. Não só parece um looping infinito como realmente é!

Essas e outras histórias de sucesso mostram como o uso de Big Data nos negócios está alterando significativamente a gestão, o relacionamento com clientes e stakeholders e até os processos de recrutamento e seleção.

Neste cenário aparentemente futurista, mas que molda a nossa realidade o tempo todo, resta uma questão essencial: quem vai lidar com esse assombroso volume de dados, processar, usar as novas tecnologias e principalmente analisar tudo para que as lideranças tomem as decisões mais assertivas? A resposta mais do que óbvia é: a pessoa que atua como Cientista de Dados.

Só que essas pessoas estão em falta, até porque a oferta de profissionais qualificados não consegue suprir a imensa demanda. O Data Scientist é alguém com alto nível de capacitação profissional, com treinamento e curiosidade para fazer descobertas no mundo do Big Data e sua ascensão só cresce desde que esta foi considerada a profissão mais sexy do mundo.

“ A profissão de Cientista de Dados é popular, bem sucedida e madura.” Kees Groeneveld, Consultor em Data Driven Organizations.

O título Data Scientist foi cunhado por DJ Patil e Jeff Hammerbacher, então os respectivos líderes de dados e análise no Linkedin e no Facebook. Inclusive o case do LinkedIn é referência quando se fala do uso de Big Data para o sucesso das startups e das grandes corporações.

Se você está começando um novo negócio observe como o Linkedin passou de uma desconhecida startup ao que é hoje, quando um cientista de dados teve a iniciativa de cruzar informações dos usuários e oferecer a eles novas experiências de uso da plataforma.

Big Data is everywhere!

Pode ter certeza de que tudo à sua volta gira em torno de dados. Nem é preciso ser um guru do futuro para saber que eles são o grande trunfo das empresas de todos os portes para alcançar resultados. Algumas possuem uma enorme equipe de especialistas para lidar com um imenso volume de dados, mas este pode não ser o seu caso e talvez você precise contar com algum suporte de plataformas e startups que oferecem opções para pequenas e médias empresas.

Não importa o tamanho que você tem hoje, importa saber que você pode chegar mais longe com dados do que as suas previsões mais otimistas. Quando você utiliza Big Data nos negócios é possível descobrir em tempo real muitas oportunidades que jamais seriam vistas de forma orgânica. Insights valiosos que levam a decisões mais assertivas e rápidas.

Quer ficar por dentro de outros conteúdos como este? Assine a newsletter da Tera no espaço abaixo.