Entendendo o product market fit de um produto digital

Um product market fit ajuda product managers a entenderem se o trabalho de desenvolvimento resultará em sucesso de mercado. 

Foto de Los Muertos Crew no Pexels

Para o grande público, levar produtos digitais ao mercado pode parecer algo simples. Hoje, há recursos de sobra para entregar soluções que vão fazer sucesso no mercado. Acontece que, mesmo em meio a um cenário facilitador, erros estratégicos podem ocorrer. O product market fit é um dos mecanismos de análises que ajudam a evitar essa situação.

Em mercados altamente concorridos, entregar produtos úteis a clientes, e que funcionem bem, é uma obrigação. Só que essas características, por si próprias, não são capazes de definir o sucesso da entrega. Há um fator específico que faz a diferença: a relevância. Afinal, o que determinado produto traz de destaque para o público?

Empresas que têm essa resposta na ponta da língua em relação ao que levam ao mercado estão mais próximas de encontrar o product market fit do que oferecem. Neste post vamos detalhar melhor esse conceito e como executá-lo. O conteúdo passa pelos seguintes tópicos:

  • O que é product market fit e qual sua importância?

  • Como entender se o produto tem espaço no mercado?

  • Quais canvas de product market fit você pode usar?

Continue lendo para entender melhor!

O que é product market fit e qual sua importância?

Product market fit é um conceito criado por Marc Andreessen com a proposta de analisar se produtos estão adequados ao mercado em que fazem parte. Esse conceito preza pelo entendimento acerca da relevância de produtos, considerando questões fundamentais, como:

  • relevância – O produto faz sentido, levando algo de positivo e enriquecedor ao consumidor?

  • funcionalidade – O uso do produto é fácil, otimizado e oferece uma experiência positiva?

  • adequação à persona – Esse produto resolve dores da persona da empresa?

Essas perguntas ajudam a entender se o produto, de fato, tem o fit de mercado, ou seja, se se encaixa. Isso passa, naturalmente, por condições socioeconômicas, além das necessidades do público. Até mesmo o preço deve ser considerado, já que um custo muito elevado, e que expõe disparidade com os concorrentes, pode causar estranheza.

De modo geral, é necessário entender que dois fatores principais precisam estar conectados: se o produto é realmente bom e se está cumprindo com seu papel em mercados de alto nível. Se acontece essa relação, a avaliação sobre o product market fit é positiva

Quem trabalha em estudos do product market fit são product managers e, eventualmente, product marketing managers. O papel de quem ocupa esses cargos, às vezes, pode ser complexo nessa tarefa de análise. Até mesmo para inovar é preciso saber medir o impacto de features ou produtos nos costumes de quem consome daquele mercado.

Leia também: Product Marketing Manager: entenda o papel e as responsabilidades

Nova call to action

Modernidade e disrupção podem simplesmente não gerar a comoção desejada. Impeditivos para isso são a falta de clareza sobre a relevância de features e produtos. Se não há trabalho profundo de apresentação e aprofundamento de ideias, as pessoas podem simplesmente não se engajar com a proposta.

"Quando as pessoas dizem que um produto estava 'à frente de seu tempo', o que elas realmente querem dizer é que o produto não fez o suficiente para conduzir consumidores por meio da mudança de comportamento necessária para obter valor do produto". – Ravi Mehta, ex-CPO no Tinder, atualmente trabalhando em Produto no Facebook e Tripadvisor.

Como entender se o produto tem espaço no mercado?

Uma das pessoas que se destacam no estudo do conceito product market fit é Dan Olsen, escritor do livro "The Lean Product Playbook" (recomendamos muito a leitura!). Ele costuma simplificar suas ideias, dizendo, basicamente, que produtos devem atender o que clientes desejam fazendo isso com a eficácia necessária.

Seu produto atende às necessidades reais do cliente e o faz de uma forma que é melhor do que as alternativas” – Dan Olsen

Tão importante quanto ser bom para consumidores é ser melhor do que outras opções do mesmo produto existentes no mercado. Afinal, product market fit é também sobre capacidade de destaque e o impacto disso no faturamento. Medir sucesso de produtos sempre passará por retorno financeiro.

Para entender se produtos têm espaço no mercado, algumas análises e técnicas tradicionais tornam essa tarefa mais simples. Listamos a seguir!

Fazer entrevistas

Entrevistas são como a busca da opinião de grupos seletos de consumidores. É possível levar oportunidades de avaliação de determinado produto a essas pessoas e realizar um questionário posterior. Nesse exercício, a ideia é que esse público tenha liberdade para avaliar a experiência de uso do produto de maneira sincera.

Criar hipóteses

A estruturação de esquemas de hipótese é uma prática de sucesso e que já ajudou a criar grandes cases de sucesso. Para isso, você precisa criar um sistema de avaliação que deve seguir o seguinte modelo:

  • Crenças iniciais da hipótese – Aqui, é preciso relacionar o que se acredita como fator de motivação para criar um produto;

  • Prototipação de validação – Na sequência, é necessário criar protótipo para validar a hipótese e fazer testes;

  • Mensuração – Todos os resultados referentes aos testes devem ser mensurados;

  • Validação da hipótese – Definição de quais resultados são considerados satisfatórios. Ou seja, o product market fit existe se esse cenário ideal for alcançado.

Usar o método de MVP (minimum viable product) ou MLP (minimum lovable product)

O método MVP é quando se tenta dar vida ao produto com o mínimo de recursos possíveis. Um case de sucesso interessante é o do Airbnb, que começou com um teste em que fundadores da plataforma colocaram o próprio apartamento como disponível para receber hóspedes. A demanda foi imensa, com grande sucesso, o que validou a ideia.

Quando tratamos de MLP, o conceito é entregar um produto capaz de atender a todos os requisitos fundamentais para uma audiência mínima. Diferentemente de MVP, ele requer investimentos e um trabalho forte em design e funcionalidade. Portanto, se essa minoria de consumidores aprovar esse MLP, há a validação da ideia.

Quais canvas de product market fit você pode usar?

Para analisar o product market fit de produtos digitais, pode ser importante usar modelos de canvas para entender possibilidades e tomar decisões. Veja a seguir quais são os modelos mais qualificados e como se deve trabalhar em cada um.

Value proposition canvas

Esse é um método de análise que baseia a validade do produto, ou seja, seu market fit, com base no que clientes necessitam e, consequentemente, valorizam. Portanto, nessa atividade, será necessário ajustar a ideia ao consumidor.

canvas de proposta de valorClique para ver e baixar o value proposition canvas.

Portanto, caberá ao product management avaliar o perfil de consumidores (dores, ganhos e deveres) e cruzar essas informações com a proposta de valor do produto (features e propostas que solucionam as dores de consumidores, os ganhos da empresa como criadora e o que de fato será o produto quando pessoas começarem a usar).

Product market fit canvas

Nesta opção de canvas o trabalho será dedicado a avaliar se produtos correspondem precisamente às necessidades de consumidores do mercado. Logo, são feitas análises de aspectos variados de consumidores e do setor, cruzando informações e entendendo se há adaptações claras e que validam hipóteses de produtos.

Matriz CSD

Essa é mais uma ferramenta que product managers e product marketing managers podem usar no processo de pesquisa e compreensão do market fit.

Leia também: Matriz CSD - template e passo a passo para usar no projeto.

A Matriz CSD é, basicamente, uma ferramenta para diagnóstico e alinhamento da equipe sobre um projeto, com a proposta de unir Certezas, Suposições e Dúvidas. 

....

Product managers precisam dedicar tempo e esforços para entenderem se produtos realmente vão se encaixar no mercado, considerando o que consumidores desejam e precisam. Do contrário, há riscos claros de lançar algo que não gere a comoção esperada, inclusive não gerando engajamento e nem mesmo níveis de faturamento esperados.

Curtiu saber mais sobre esse assunto e achou este post interessante? Compartilhe no LinkedIn para que mais pessoas tenham acesso!