Estamos na era digital? O que isso significa para líderes e empresas?

Saiba como a era digital impacta empresas e líderes! Confira as principais mudanças e os impactos que elas geram nas estruturas de negócios.

Foto de fauxels no Pexels

As transformações do mundo moldam a sociedade e como fazemos nossas tarefas cotidianas. Uma simples transferência bancária mudou drasticamente nos últimos dez anos, assim como outras atividades de rotina. Uma grande parte delas sofreu a influência do que chamamos de era digital.

Essa transformação nos trouxe mais facilidade, segurança e comodidade. Ao mesmo tempo, ficou mais difícil acompanhar tantas mudanças. Afinal, se há tanta informação indo de um lado para o outro, como podemos nos informar sobre tudo?

Diante desse cenário, a sociedade lida com essa transformação como pode, mas sempre desfrutando de tudo que a era digital proporciona. Não importa se você é mãe ou pai, estudante, integrante de uma empresa, líder de um grupo de profissionais ou só consumidor: o digital já faz parte da sua vida, talvez mais do que imagina.

Por isso, vamos falar mais sobre esse momento, o que ele gera no mundo corporativo e como isso afeta a gestão e estratégia das empresas. Boa leitura.

O que é a era digital?

A era digital é o momento do mundo em que muitos dos recursos e ferramentas que temos à disposição funcionam em um ambiente digital. Isso gera uma necessidade de adaptação por parte de pessoas e instituições, sempre visando melhoria na gestão ou na forma como se usam tudo que está à disposição da sociedade atualmente.

Falar de uma era é algo que pressupõe um início e um fim. O que podemos dizer é que o surgimento da ideia aconteceu junto da Terceira Revolução Industrial. No entanto, o grande “boom” foi no início dos anos 2000, quando tecnologias e ferramentas começaram a se tornar populares. Ou seja, é aí que a sociedade toma consciência da mudança.

Um fim ainda não é possível projetar. Ao mesmo tempo que se coloca como o presente, a era digital é também o futuro. Muitos investimentos foram feitos por empresas no processo de transformação digital e, atualmente, a sociedade se mostra cada vez mais adaptada. Tudo funciona bem, mais rapidamente e com ampla comodidade a todos.

A percepção na sociedade

Saber que estamos na era digital é algo fácil, mas não se pensa nisso o tempo todo. Na verdade, associamos tudo ao avanço da tecnologia. Quando podemos escolher o nosso álbum favorito entre uma grande lista de títulos musicais, ou quando fazemos um PIX, estamos utilizando esses recursos de maneira natural no cotidiano.

Além das funcionalidades, há também os produtos digitais, também já integrados à rotina da sociedade. Os produtos são frutos da transformação digital e da progressiva implementação desse conceito na vida da sociedade.  

A era digital é simplesmente isso: um momento na história da humanidade em que esses ambientes e recursos estão perfeitamente integrados às rotinas das pessoas. Nesta era, as práticas e hábitos passam a ser alinhados com tudo que está à disposição. Consequentemente, há a necessidade de adaptação, sobretudo por parte das empresas.

Informação é um pilar da era digital

A era digital é regularmente considerada também a era da informação. Os dados desempenham um papel essencial nos dias atuais e se tornam combustível para que diversos sistemas, soluções e ferramentas digitais variadas funcionem. Eles se tornarão informação que vai alimentar os mecanismos com os quais interagimos atualmente.

Hoje, quase todos estamos habituados com a maneira que a Netflix nos sugere novos filmes, séries e documentários de maneira tão personalizada. Se você já usa a plataforma há algum tempo, certamente já notou que ela sempre mostra prioritariamente alguns conteúdos que são mais alinhados com o seu perfil enquanto usuário da plataforma.

Bem, muitos se assustaram com tamanha precisão, lá no início da popularização do serviço. A verdade é que durante toda a experiência de uso da Netflix, estamos compartilhando dados, nesse caso, os de navegação. Esse material gerado é rastreado por algoritmos da plataforma, que então os transforma em informações como:

  • este usuário prefere séries à filmes e documentários;

  • este usuário gosta de títulos do gênero de suspense;

  • este usuário assiste muitos títulos de determinada atriz ou ator.

Assim, a Netflix consegue gradativamente melhorar a sua tela inicial e, mais do que isso, as sugestões de conteúdo para você. O mesmo é feito por outras empresas, como o Spotify e até mesmo o Instagram, na hora de priorizar posts e stories de quem você costuma se engajar mais.

As empresas não querem mais simplesmente ofertar um serviço generalista e que atende a todos, mas que cada um precisa encontrar o que gosta. A proposta da era digital é transformar dados dos clientes em informação sobre eles. Assim, companhias conseguem moldar a relação com as pessoas, tornando a experiência mais qualificada.

O que muda para empresas na era digital?

A Terceira Revolução Industrial trouxe um cenário muito claro às empresas: digitalização como parte dos processos de fabricação, gestão e operação. Antes em ocasiões específicas dentro de uma companhia, hoje os recursos digitais estão até mesmo no controle de ponto. 

Se isso não é a realidade de uma empresa qualquer, certamente ela perderá espaço em seu mercado, mais cedo ou mais tarde. Afinal, quem imaginaria que companhias como Kodak e Blackberry simplesmente desapareceriam de seus segmentos? A única razão pela queda vertiginosa do impacto dessas empresas foi a incapacidade de se adaptar.

Por mais que esses dois exemplos tenham sofrido perdas grandes a nível de competitividade pela falta de atualização de produtos, o problema também afeta a gestão. 

Processos ágeis, desenvolvimento acelerado e administração precisa, com base em dados, são elementos que geram maior competitividade. Empresas que não conseguem trazer esses recursos para a sua realidade estão fadadas ao atraso. Ficarão pelo caminho. Ainda assim, não se trata somente de aderir para se igualar às outras.

A transformação digital exige que empresas se adaptem de maneira completa. Tudo começa pela cultura de gestão e operação, mudando o que está enraizado. Fazendo isso, empresas conseguem se converter totalmente ao modelo digital. Naturalmente, passa a ser mais fácil não só operar e gerir nessa realidade, mas também oferecer serviços, atendimento e produtos digitais.

Quando pensamos nos impactos da era digital nas empresas, raramente nos concentramos em questões do dia a dia operacional e de gestão. Pensamos sempre no macro, nas grandes decisões e na mudança de estratégia, mas isso só funciona se houver ajustes nos trabalhos de menor escala. Esses sim, farão toda diferença para um avanço sólido.

A era digital traz mudanças realmente marcantes na empresa, desde sua cultura, passando pela forma como os processos são executados, e indo até as lideranças. Tudo precisa estar adaptado e ser devidamente adequado. A seguir, mostramos um pouco sobre como há impactos importantes nas empresas na era digital.

Cultura

A cultura organizacional das empresas raramente passa por mudanças, o que é compreensível. Afinal, as raízes de um negócio precisam ser firmes e seguras, garantindo que essa companhia não se afaste de seus valores. Isso muda somente quando é necessário para melhorar, ou seja, a cultura passa por mudanças quando falamos da era digital.

Naturalmente, empresas abrem espaço para a inovação, o que é um dos pilares do desenvolvimento na era digital. Essa mudança de cultura também requer maior aceitação ao erro, fator comum em empresas que tentam criar novos métodos, produtos e processos dentro do digital. Essa liberdade vai levar, certamente, ao sucesso.

O novo propósito da empresa e as mudanças em sua cultura organizacional devem vir acompanhadas de posturas disruptivas. Isso vai abrir espaço para métodos de gestão que ofereçam autonomia aos colaboradores, além de uma comunicação mais dinâmica. A horizontalidade passa a ser uma realidade muito comum visando maior liberdade criativa.

Assim, colaboradores das empresas conseguem absorver a nova cultura mais rapidamente, sem medo das mudanças. Isso promove um ambiente criativo ideal para a era digital, promovendo colaboração e inovação. Essa realidade tem sido adotada por grandes companhias que querem abrir suas portas para a transformação digital, aproveitando todos os benefícios que ela traz.

Metodologias

Os processos também precisaram ser adaptados para essa nova realidade das empresas. Estamos falando especificamente das metodologias ágeis, tão necessárias para que companhias consigam desenvolver soluções digitais capazes de atender às demandas do mercado. Assim, o dinamismo competitivo tão necessário pode ser obtido em meio a tantas outras companhias fazendo o mesmo.

Essa nova forma de executar processos e criar produtos é, naturalmente, impulsionada pelas ferramentas que equipes de desenvolvimento têm à disposição atualmente. Os softwares digitais garantem uma colaboratividade precisa, organizada e remota, favorecendo empresas que adotam o scrum, mais comumente, com a metodologia de trabalho principal.

As metodologias ágeis também trazem benefícios de destaque para as companhias, de duas formas. Primeiramente, na perspectiva interna, quando há uma gestão de tempo e de processos muito mais fácil, muito por conta da ajuda dos softwares de apoio. Além disso, companhias conseguem entregar produtos e serviços digitais muito mais rapidamente ao público, o que é ótimo do ponto de vista comercial.

Um ponto importante que deve ser citado é a necessidade de adequação dos colaboradores. Desenvolvedores e product managers devem estar totalmente ambientados às metodologias ágeis, uma vez que elas se tornaram uma prática já totalmente comum às rotinas empresariais.

Formação de times

Os times de trabalho nas empresas também sofrem impactos significativos. Não basta simplesmente ser um profissional adaptado a ferramentas e sistemas. O que fará a diferença é a capacidade de ser decisivo no ambiente digital, explorando possibilidades e se mantendo competente na realidade atual das empresas.

Uma das exigências mais marcantes é a familiaridade com dados, mas especialmente em maior profundidade no uso. Posições como a de Data Analyst têm ganhado cada vez mais espaço no mercado, ou seja, requer qualificação. Da mesma forma, o Product Manager se tornou figura indispensável em empresas que colocam produtos e serviços digitais no mercado.

A grande questão na formação de times é ter, além de ter boa mescla em relação a pessoas com diferentes qualidades, também contar com pessoas com habilidades úteis na era digital. Esse cenário leva a uma questão fundamental: upskilling! A qualificação para novas habilidades torna pessoas mais completas no cumprimento de seus cargos, migrando de um modelo antigo de trabalho para um novo, este adequado à transformação digital.

O grande risco, do ponto de vista dos profissionais, é se tornarem pessoas com habilidades obsoletas ao mercado. Inclusive, essa é uma questão reforçada pelo World Economic Forum, que apontou um cenário com o desaparecimento de até 85 milhões de empregos até 2025. Quem não quer ser parte dessa estatística precisa se atualizar e qualificar.

As empresas devem também adaptar suas diretrizes de recrutamento e seleção, exigindo pessoas totalmente adaptadas, sobretudo com letramento digital e alfabetização em dados, sem esquecer da capacidade analítica. Portanto, o futuro é feito de squads digitais, ou seja, times totalmente adaptados a esse ambiente, além de times ágeis compostos por pessoas capazes de dinamizar o desenvolvimento e entregar produtos cada vez mais rápido ao mercado.

Liderança

A liderança na era digital é também um dos pontos de atenção quando falamos de mudanças às quais empresas precisam se adaptar. Quem está nessa posição precisa, primeiramente, garantir a construção de um time de pessoas capacitadas, com qualificações necessárias, como as já citadas neste conteúdo.

A liderança digital é, igualmente, mais orientada a dados. Portanto, os tipos de liderança podem ser dos mais variados, desde que saibam se adequar ao que o digital pede. Isso vai gerar, consequentemente, a necessidade de tomadas de decisão apoiadas por informação estratégica. Do contrário, esses líderes não estarão bem adequados ao cenário atual.

A era digital trouxe a necessidade de termos pessoas em posições de c-level com total adequação a essa realidade. Isso fez com que novos cargos fossem criados, entre eles:

  • Chief Data Officer (CDO);

  • Chief Analytics Officer (CAO);

  • Chief Technology Officer (CTO);

  • Chief Privacy Officer (CPO).

O cenário atual manda uma clara mensagem ao mercado: é preciso ter toda a preparação para a era digital. Enquanto empresas buscam mudar suas raízes, gestão e operação, profissionais devem recorrer à educação na era digital para conseguirem se atualizar ou até mesmo migrar de ocupação.

A transformação digital em uma empresa é um processo complexo e que se baseia na orientação a dados, o que requer a capacidade analítica. Portanto, se você deseja ser parte dessa mudança, confira nosso e-book sobre como liderar a transformação com dados

Nova call to action