Mãos masculinas mexem em notebook com dados estatísticos

Analista de dados: o que faz, quanto ganha e como escolher um curso

Entenda o que fazem analistas de dados, quando ganham e o papel na tomada de decisões em empresas. Veja também como escolher um curso de análise de dados.


Você provavelmente já leu ou ouviu algo sobre carreiras em dados terem alta demanda e pagarem ótimos salários. No entanto, por mais que a profissão de analista de dados seja realmente promissora, muita gente não sabe de fato o que pessoas dessa área fazem no dia a dia, ou como é possível se preparar para ser um data analyst.

O cenário é o seguinte: esta profissão está em primeiro lugar na lista de carreiras mais promissoras para 2021, segundo o relatório do World Economic Forum. Portanto, desenvolver sua capacidade analítica enquanto pode abrir as portas que você sempre sonhou. É importante saber o que espera você nessa posição profissional.

Este conteúdo vai oferecer uma perspectiva completa sobre a carreira de data analyst. Veja alguns pontos que vamos abordar:

Continue a leitura para saber o que os analistas fazem, quanto ganham e como você pode se preparar para ingressar nessa área.

Analista de dados: o que faz e importância no negócio

Alguém que trabalha como analista de dados vai manipular grandes quantidades de dados para buscar padrões e, a partir disso, gerar insights valiosos para a tomada de decisão em uma empresa. São profissionais com visão analítica e visão de negócio, que atuam juntamente à liderança apresentando relatórios completos sobre cenários, oportunidades e possíveis melhorias.

Dados podem ser uma verdadeira mina de ouro para empresas, mas apenas se forem usados de forma estratégica, como condutores das ações das equipes e do executivo. Para isso, eles precisam ser coletados, organizados, lidos, interpretados e comunicados corretamente. 

Nesse ciclo, participam também profissionais de Engenharia de Dados- que criam infraestrutura - e de Ciência de Dados - que fazem predições estatísticas. Data analysts se encarregam de ler e extrair respostas do acervo de informações disponíveis.

Por isso, é essencial que pessoas dessa área desenvolvam visão de negócio, compreendendo a fundo os problemas que precisam resolver com aqueles recursos.

Por vezes, a pessoa analista de dados trabalha em um papel de tradução entre os times de dados e o de negócios. A pessoa nessa posição explica partes mais técnicas como estatística, modelos e previsões para o time de negócios, ao mesmo tempo que ajuda data scientists e pessoas engenheiras de dados a entender os desafios de negócio para desenhar uma solução. 

A propósito, é importante destacar que há diferenças entre cientistas e analistas de dados.

Ao falar das tendências para Análise de Dados em 2021, Caroline Oliveira, que é Consultora de Negócios e Expert na Tera, explicou que “o dado pelo dado conta qualquer coisa”. Ou seja, é fundamental que haja um pensamento crítico e analítico em profissionais que querem ingressar nessa carreira. É preciso questionar o que cada informação traz e como ela pode ser aplicada no momento em que decisões precisarem ser tomadas. 

No dia a dia, algumas responsabilidades de analistas de dados são:

  • trabalhar em parceria com o time de dados para definir como eles serão coletados, processados e limpos para uso;

  • consultar bancos de dados SQL para fazer análises preliminares e criar hipóteses;

  • explorar problemas e possibilidades para ter insights e descobrir oportunidades para o negócio;

  • criar e monitorar métricas e indicadores (KPIs);

  • montar e apresentar relatórios com essas análises para quem toma a decisão na empresa;

  • orientar decisões imediatas e acompanhar os efeitos dessas decisões.

Achou essa rotina interessante? Então você vai gostar de saber que, segundo a consultoria Gartner, até 2023, mais de 33% das maiores organizações terão analistas responsáveis por tomar decisões inteligentes para os negócios. Com esse mercado tão aquecido, investir na carreira de analista de dados é uma excelente ideia.

O salário de analista de dados

É claro que você também se interessa em saber quanto analistas de dados ganham. De acordo com o portal Glassdoor, a média salarial em São Paulo é de R$ 4.852 por mês para data analysts.

O salário pode ser mais alto em grandes empresas. No Itaú, por exemplo, esses profissionais ganham cerca de R$ 6.881 por mês, e no iFood, pessoas em nível Pleno ganham em média R$ 7.208. Os valores salariais são variáveis, dependendo da maturidade do negócio, das responsabilidades do cargo e capacitação exigida.

É interessante pensar que quem se capacita como analista de dados não precisa trabalhar apenas em cargos com esse nome. Com a implementação da cultura analítica nas empresas, será cada vez mais comum que pessoas com visão orientada a dados se tornem grandes líderes ou mesmo consultoras de negócios. 

Algumas funções dE analistaS de dados

A pessoa analista de dados tem seu papel bem definido dentro de uma estrutura de empresa. Ela atua junto a diferentes setores e tem demandas essenciais a cumprir. A seguir, você entende melhor suas funções e o impacto da execução delas.

Trabalhar em parceria com o time de dados

O time de dados de uma empresa é o grupo de colaboradores que trabalha coletando, tratando e estruturando um nível de materiais que, mais tarde, se tornará informação. Esse conteúdo é a base do que analistas vão analisar, ou seja, dedicar seu olhar com rigor para entender padrões, projetar hipóteses e detectar realidades do negócio.

Em sua posição, a pessoa analista estará em parceria com todo o time de dados. Em sua jornada, ela tem a liberdade para realizar solicitações de materiais, acessar plataformas de gestão de dados, consultar bancos de dados e o que mais for preciso. Quanto mais próximo dessas pessoas analistas forem, melhor será a qualidade do trabalho.

Consultar bancos de dados SQL

A atuação de data analyst também exigirá que ele mantenha uma conexão constante com bancos de dados SQL. Esse é o modelo mais prático e eficaz, uma vez que é relacional, ou seja, permite dispor as informações em formatos de tabela. Assim, há uma visualização mais organizada, o que torna a dinâmica de trabalho mais ágil.

Consultar esses bancos de dados é essencial. Afinal, a análise é feita sobre o conteúdo que a equipe de dados foi capaz de reunir. Esse material ficará disponível nos bancos e, a partir disso, a pessoa analista o consultará para projetar algumas possibilidades ou checar informações. Assim, se torna possível construir percepções sólidas e confiáveis sobre presente e futuro do negócio.

Explorar problemas e possibilidades para ter insights

A capacidade analítica do profissional passa pela sua qualificação ao enxergar respostas em meio aos dados. Esse conteúdo só se torna informação se há a visão analítica e interpretativa. Por isso, o analista dedicará bastante tempo do seu trabalho a avaliar diversas possibilidades e cruzá-las com os dados, para então chegar a respostas.

Cada um dos problemas que a empresa enfrenta podem ser entendidos com a ajuda dos dados. Uma análise qualificada permite chegar a insights precisos que apontem exatamente porque as dificuldades estão acontecendo. Da mesma forma, é possível entender a origem do problema e, a partir disso, embasar a tomada de decisões para reduzir os impactos e solucionar as questões.

Nova call to action

Criar e monitorar métricas e KPIs

Dados são gerados o tempo todo pelas mais diversas fontes, como planilhas, documentos, e-mails, redes sociais, ferramentas de gestão, entre outros. Logo, esse conteúdo é também resultante de atividades e ações, o que faz com que a mensuração de métricas e o monitoramento de KPIs sejam relevantes.

O papel da pessoa data analyst se dá de duas maneiras principais. Primeiramente, ela precisa criar e definir o uso de KPIs relevantes, ou seja, que monitorem continuamente alguns resultados que precisam ser acompanhados mais de perto. Assim, fica mais fácil saber resultados, como:

  • vendas;

  • conversões;

  • rejeição (número de clientes que deixam o negócio);

  • despesas e custos;

  • turnover de colaboradores;

  • satisfação do consumidor.

A segunda etapa do trabalho é o monitoramento de métricas, que nada mais são do que dados em números resultantes de ações de marketing, vendas e outros processos. Logo, existe o papel de analisar frequentemente essas métricas para entender a situação atual da empresa e, se necessário, sugerir decisões importantes. 

Montar e apresentar relatórios

A parte de data visualization, ou visualização de dados, é uma das mais importantes pelo fato de ser uma espécie de consolidação do trabalho de analista de dados. Depois de realizar seu trabalho de projeções, questionamentos e investigações, é hora de mostrar o que foi captado e entendido. A melhor maneira de fazer isso é por meio de representações gráficas.

Analistas de dados precisam ter a qualificação para desenvolver relatórios que abranjam departamentos da empresa, apontando KPIs que merecem destaque e métricas relevantes. Profissionais dessa área também devem saber como aplicar esse conteúdo em tabelas, gráficos, mapas e outros formatos.

Um bom relatório é aquele que, além dos dados em sua forma bruta, também contém as percepções a partir do trabalho interpretativo. Não basta relacionar os números, há a necessidade de criar um documento avançado que mostra cenários e projeções concretas. A partir desse relatório, gestores tomarão decisões importantes. 

Orientar decisões e acompanhar os efeitos

Os dados têm dois papéis essenciais: orientar decisões e permitir o monitoramento da situação do negócio. Portanto, analistas de dados são responsáveis por transformar esse conteúdo em informação concreta, ou seja, que vá basear escolhas seguras. Se profissionais analistas interpretam corretamente esse conteúdo, também podem orientar decisões.

Dependendo do contexto da empresa, analistas têm abertura para lidar com gestores e debater sobre o que foi percebido durante seu trabalho de análise. Essas percepções devem ser transmitidas de maneira clara, inclusive com projeções de cenários.

O trabalho também consiste em acompanhar os efeitos das decisões tomadas com base nos dados. Dessa forma, pode recorrer a novas análises visando necessárias mudanças de rota, ou simplesmente para entender se as decisões sugeridas eram as melhores diante do cenário.

Tipos de análises de dados que você precisa conhecer

O que possibilita os variados níveis de entendimento sobre a situação do negócio são os tipos de análise de dados existentes. Conheça um pouco de cada uma e sua respectiva utilidade.

Análise descritiva

Tudo que está acontecendo na empresa no momento atual pode ser detectado por meio dos dados. Qualquer resultado se reflete nessas informações, por isso, a análise descritiva é essencial. Seu papel é permitir essa visão em tempo real sempre que o gestor tiver a necessidade de detalhar resultados e KPIs do momento presente.

Análise diagnóstica

O diagnóstico de um acontecimento ou um momento vivido pela companhia pode ser obtido por meio do que os dados retratam. Portanto, a análise diagnóstica é aquela que ajuda a responder perguntas, ou seja, detectar a razão pela qual algo aconteceu. Por exemplo, por ela você consegue saber por que uma empresa está perdendo clientes.

Análise preditiva

Pode parecer uma expectativa ousada, mas de certo modo, a análise dos dados consegue prever o futuro. Não há bola de cristal, somente os dados aplicados a modelos estatísticos de projeção. Essa parte do ciclo de dados, geralmente desempenhada por cientistas de dados, ajuda a prever resultados da empresa e comportamento do consumidor, por exemplo.

Análise prescritiva

A análise prescritiva tem o papel de orientar a tomada de decisão. Assim, todo importante passo a ser dado deve ser, previamente, analisado com ajuda de dados. Dessa maneira, se torna mais concreta a simulação de cenários, para o bem e para o mal, e então se torna mais fácil saber se determinada decisão é viável ou arriscada.

O que estudar para ser analista de dados

Quando analisamos a possibilidade de ingressar em uma nova carreira, é comum que fique a sensação de não saber exatamente por onde começar. Um bom ponto de partida é buscar conteúdos iniciais sobre a profissão, como este que você está lendo.

Mas se você já decidiu se aprofundar na carreira de analista de dados, veja algumas habilidades que você pode começar a desenvolver:

Mentalidade data driven

A mentalidade certa, ou seja, data driven, é o primeiro passo para o sucesso nesse mercado. Isso pode parecer meio óbvio, mas é importante reforçar, por conta da necessidade de imersão que essa profissão exige.

Analistas de dados devem entender que o sucesso da empresa em que trabalham depende diretamente de como os dados são analisados e geridos. Só assim haverá embasamento sólido para que decisões corretas sejam tomadas, o que leva ao desenvolvimento e bons resultados.

Banco de dados em SQL

Os bancos de dados SQL são o formato mais utilizado atualmente, graças à sua estrutura de dados relacionados. Logo, profissionais da área devem entender como funcionam essas estruturas e, principalmente, entender sobre a linguagem SQL.

O ideal é reservar tempo para se aprofundar mais sobre SQL e de que maneira ela impacta os bancos de dados. Conhecer esse ambiente antes da parte prática vai preparar a pessoa analista na construção de uma capacidade analítica.

Leia também: Capacidade analítica: como essa habilidade influencia o negócio? 

Visualização de dados

A skill de visualização de dados se torna altamente importante porque é a maneira mais precisa de entender resultados e projeções com ajuda desses conteúdos. Portanto, estudar sobre apresentações, gráficos e representações visuais se torna obrigação.

Profissionais que se destacam como data analysts precisam, além da capacidade de interpretar, tornar a compreensão das informações mais acessível também para outras pessoas. Do contrário, só profissionais de dados poderão lidar com esse material. Portanto, estudar e aprender como visualizar dados e produzir relatórios deve ser uma das prioridades.

Estatística básica

A estatística é um campo de estudo que permite prever cenários e probabilidades por meio de vários dados. Saber conceitos básicos dessa área faz diferença para quem quer trabalhar como analista de dados. Com estatística será possível analisar hipóteses e fazer previsões com mais embasamento técnico.

Entender estatística descritiva e inferencial são dois campos interessantes para começar a aprender. Enquanto a primeira é voltada à representação de dados de maneira gráfica, a segunda ajuda a perceber padrões e repetições em seleções aleatórias de amostragens de dados, quando o volume deles é muito grande e, logo, impraticável.

Capacidade analítica e crítica 

A capacidade analítica é importante para que a pessoa analista não seja só alguém que vai enxergar o que os dados mostram. Analisar é mais que isso, é um trabalho voltado ao estudo de cenários, interpretação dos dados e observação do comportamento desse material.

Além disso, a capacidade crítica é o que o permitirá interpretar os cenários de maneira mais detalhada. Ao olhar os dados, entender o que eles representam e pensar no impacto que eles têm na empresa, será possível refletir melhor sobre as mais diversas possibilidades e consequências que uma decisão pode ter.

Comunicação com áreas do negócio

Como data analyst, você trabalhará com registros dos mais diferentes departamentos de um negócio. Por isso, é importante ser alguém capaz de se comunicar com essas áreas, estabelecendo um relacionamento e entendendo as necessidades de cada setor.

Uma boa comunicação garantirá que as percepções obtidas sejam compartilhadas de maneira eficaz com essas áreas. Além disso, a troca de informações e ideias ajuda a ter um entendimento melhor dos departamentos e, naturalmente, também dos dados gerados por eles.

Por que fazer um curso de análise de dados

Carreiras promissoras são construídas por profissionais que nunca deixam de se qualificar. Todo conhecimento pode ajudar, mas se falamos de dados, se torna algo muito mais necessário do que uma qualificação adicional. As empresas já perceberam que, quando se tornam data driven, conseguem ser mais competitivas.

Uma empresa com maturidade de dados só consegue alcançar essa posição se, em seu quadro de colaboradores, conta com profissionais totalmente imersos e qualificados nesse campo. É preciso entender a fundo temas como privacidade de dados, métricas e o passo a passo de como fazer uma análise.

Em resumo, você precisa se preparar para alcançar as melhores oportunidades que o mercado abre para quem ‘fala a língua dos dados’.

Como o mercado evoluiu muito rápido nos últimos anos, ainda é raro encontrar uma graduação em Análise de Dados. Por isso, a melhor opção para migrar de carreira é apostar em um curso que vai te ajudar a acelerar o aprendizado por meio do olhar e da experiência de experts de mercado. 

Cursos também permitem network com pessoas que já são liderança na área, ao mesmo tempo que conectam você com quem está em um momento parecido da carreira. 

Os cursos de Análise de Dados ajudam a  acelerar o processo de aprendizado e são focados no mercado de trabalho. Quem se forma nessas qualificações tem a preparação para lidar com rotinas de trabalho com dados e desempenhar papel fundamental nas empresas mais relevantes do país.

Independentemente se você deseja atuar como analista ou não, aprender sobre análise de dados será útil em qualquer cenário. Em um mundo no qual as empresas estão cada vez mais se tornando data driven, é inevitável ser alguém preparado para essa realidade.

Mais algumas formas de se preparar para ser analista de dados são participar de meetups, de grupos sobre o tema e seguir profissionais da área no LinkedIn. Além de aprender e esclarecer dúvidas, esse networking pode ajudar você a encontrar boas vagas de Análise de Dados.

Como escolher um curso de Análise de Dados?

Se você entendeu que um curso de Análise de Dados faz sentido para evoluir na sua função ou fazer uma transição de carreira, é hora de escolher o melhor lugar para investir no seu desenvolvimento. 

Descobrir o que um curso de Análise de Dados pode proporcionar é o primeiro passo de uma jornada de formação. Então, você consegue saber onde investir seu tempo e dinheiro para se qualificar.

Veja a seguir o que um bom curso de Análise de Dados precisa oferecer.

Desenvolvimento de capacidade analítica

Com dados sendo o grande ativo que empresas têm atualmente, é a partir desse nível de conteúdo que se extraem percepções, insights e certezas. Para conseguir captar algo realmente relevante a partir dos dados é fundamental ter capacidade analítica. Para isso, o primeiro passo é saber como lidar com esse material e entender o que ele mostra.

Uma pessoa que não tem experiência com essa rotina pode aprendê-la a partir do campo técnico. Em sequência, no aprendizado do curso, profissionais desenvolvem sua capacidade analítica por meio de atividades práticas inspiradas em cases de sucesso. Esses exercícios qualificam futuras pessoas analistas a desenvolverem a habilidade de extrair informação de dados.

Visão sobre ferramentas usadas

Analistas de dados trabalham com auxílio de ferramentas que facilitam a rotina. Tais recursos permitem ter acesso a grandes volumes de conteúdos de maneira simples, além de automatizar processos. Ferramentas são recursos de suporte, mas totalmente fundamentais em diversas ações da rotina profissional, como:

  • análise de dados e monitoramento de indicadores;

  • visualização de dados;

  • tratamento de dados;

  • organização de informações;

  • armazenamento de dados;

  • automação de processos referentes à análise.

No curso, estudantes têm os primeiros contatos com cada uma das ferramentas essenciais que serão usadas no cotidiano de trabalho. Assim, pessoas estudantes conquistam experiência prática e não sentem dificuldades quando começam a atuar, de fato, no mercado.

Interação com profissionais do mercado

Para ser analista de dados é necessário entender a percepção de outros analistas de dados sobre a rotina, o mercado e as demandas da profissão. Poder trocar ideias com essas pessoas e absorver insights relevantes sobre a atuação é algo incrível. Nos cursos, profissionais estabilizados no mercado estão sempre prontos para compartilharem sua expertise com estudantes.

A interação com essas pessoas enriquece o conhecimento e antecipa percepções que só poderiam ser obtidas com a prática da profissão. Isso traz enriquecimento técnico e prepara estudantes para o dia a dia de trabalho. Além disso, não podemos deixar de destacar o networking. Dedicação e bom desempenho em cursos podem resultar em indicações e entrada ágil no mercado de trabalho

Possibilidade de aplicar conhecimentos na prática

Bons cursos não se limitam à base teórica, ainda que ela seja um pilar do aprendizado. Só ouvir e ler conceitos torna o processo cansativo e não gera a qualificação profissional. Por isso, em curso de Análise de Dados, se aprende como executar processos. Ou seja, toda a jornada de análise é mostrada a estudantes, que precisam se envolver nela.

Para que isso seja possível, professores trazem situações hipotéticas, mas totalmente possíveis diante do contexto de mercado, para serem trabalhadas. Com apoio dos instrutores, profissionais recebem direcionamento para observar padrões, analisar hipóteses e fazer projeções. Ou seja, essas pessoas executam um ciclo analítico completo, o mesmo que farão futuramente em cargos de empresas.

Criação das habilidades que o mercado pede

Por fim, um bom curso de Análise de Dados desenvolve em estudantes habilidades necessárias para o exercício da posição. Quem ocupa esse cargo precisa mandar bem em alguns campos técnicos, além de ter soft skills essenciais à rotina de trabalho. Entre as principais habilidades, você aprenderá:

  • comunicação eficaz dentro de equipes de trabalho;

  • capacidade de entender a empresa, público-alvo e mercado, para então saber o que padrões de comportamento em dados podem significar;

  • conhecimentos básicos em estatísticas;

  • olhar crítico e questionador;

  • capacidade de propor soluções de acordo com o contexto;

  • capacidade de tomar de decisões.

Onde estudar Análise de Dados?

Poucas barreiras ainda impedem quem deseja estudar Análise de Dados. Recursos financeiros mínimos e um pouco de tempo já bastam! Hoje, além de estarem mais acessíveis financeiramente, os cursos saíram do contexto de sala de aula física. Não importa onde você esteja, dá para aprender e estar em contato com estudantes e profissionais incríveis.

Até em vídeos do YouTube e por meio de apostila gratuitas você consegue absorver bom conteúdo técnico que vai abrir sua mente para a Análise de Dados. Mas, o processo pode ser mais rápido, principalmente para conquistar um lugar no mercado, se você entrar em um curso online.

Essa modalidade é uma solução à rotina moderna e às dificuldades que a vida do profissional atarefado traz. Portanto, o melhor curso de Análise de Dados é o que pode se encaixar ao seu dia a dia, sem deixar de ser altamente qualificado.

Quem consegue reunir esses e muitos outros pontos de destaque é a Tera, a escola online de carreiras digitais liderada por experts do mercado. Você aprende com quem sabe fazer e tem realmente sido peça-chave para empresas de todos os segmentos e tamanhos. Assim, você se torna o que essas companhias estão em busca, sobretudo na área de dados.

Um bom curso de Análise de Dados deve desenvolver em estudantes habilidades essenciais e permitir ter acesso a todas as qualificações que você viu ao longo deste conteúdo. Esse é o caminho para dar o próximo passo que você deseja.

....

Nos próximos anos, a mentalidade data driven vai dominar as empresas. Nesse cenário de futuro do trabalho, profissionais que souberem conduzir estratégias baseadas em dados serão os mais requisitados. Esperamos que este artigo ajude você a dar os primeiros passos nessa carreira promissora de analista de dados.

Agora é com você. Se capacitar é fundamental para conquistar seu espaço no mercado. Conheça o curso de Data Analytics da Tera e saiba como ele pode impulsionar sua carreira!

GARANTA SUA VAGA