O que é UX Design? Um guia completo para começar na área

Aprenda como iniciar em UX Design e atuar com habilidades como UX Research, UX Writing,  Wiriframes e Designer de Produto com esse guia completo.


Muitas das nossas experiências diárias são intermediadas por produtos digitais. E por trás desses produtos  existe uma abordagem metodológica focada em aperfeiçoar as experiências das pessoas usuárias. Partindo desse princípio, você já começou a entender o que é UX Design.

UX é uma área vasta e com cada vez mais demanda no mercado de trabalho. User experience designers estão presentes de forma crescente em empresas, desenhando jornadas de produtos digitais, em uma diversidade de cenários.

Quer entender mais sobre o assunto e compreender como iniciar a carreira em UX Design, incluindo o que fazem profissionais de UX e quanto ganham? Veja algumas coisas que você vai aprender neste guia de UX:

Se você está estudando UX para aprender habilidades digitais e dar um up em sua carreira, é só continuar a leitura deste conteúdo completo que preparamos para você. 

O que é UX Design?

UX Design é a disciplina responsável pelo desenho da experiência de pessoas usuárias (user experience design). Essa experiência não se restringe apenas à jornada em produtos digitais. Por englobar todos os aspectos da interação do usuário final com a empresa e seus produtos, ele é importante para todo e qualquer serviço.

Quando alguém pergunta o que é UX Design, costumamos explicar que essa área une conhecimentos e ações em três campos: negócios, tecnologia e usuários. Como você pode ver na imagem abaixo, é necessário equilíbrio entre essas áreas para que um produto tenha uma boa experiência e seja viável.

o-que-e-ux-design

Se você já leu termos como experiência do usuário, jornada, usabilidade e intuitiva, já teve contato com o ecossistema de UX Design mesmo sem perceber. A partir do momento em que acordamos, damos início em algum produto digital e durante o dia temos nossas experiências intermediadas por produtos digitais.

Estes produtos estão presentes e intermedeiam nossa relação com lembretes de horários, alimentação, música e nosso contato com ciclo social e profissional. 

Você pode, por exemplo, imaginar por alguns minutos quais foram os produtos digitais até minutos antes de estar aqui, lendo este artigo.

Um produto pode ser um pacote de chicletes, o controle de televisão ou um produto digital, como um aplicativo ou relógios inteligentes. A forma como interagimos com produtos diz respeito à nossa experiência, seja ela boa — como aquele produto digital que você utiliza frequentemente e recomenda para seus amigos — ou ruim, como produtos que você provavelmente não utilizará mais.

Quer entender melhor o que é UX Design? Vamos dar um passo atrás e falar sobre como o termo UX Design começou a ser usado. O professor e cientista cognitivo Don Norman, da Universidade de Stanford foi o inventor do conceito.

Descontente com as limitações dos nomes “interface de usuário” e “usabilidade”, ele preferiu o termo user experience para se referir ao seu trabalho na Apple nos anos 1990. Isso muda a visão de muitos sobre o que é UX Design, como unicamente ser algo relacionado a criação de websites ou aplicativos, por exemplo. 

Em uma entrevista concedida na UX Conference de 2016 em São Francisco, Norman definiu o que é UX Design como “tudo o que está relacionado à sua experiência com o produto (…).” Segundo o autor, uma experiência não está limitada a um sistema, mas se trata de como um produto ou serviço é experienciado na íntegra.

O que diferencia um design de experiência eficiente de um ruim está, em muitos casos, mais relacionado à filosofia da empresa que oferece o serviço do que em suas características técnicas. Por isso, empresas que prezam por uma boa experiência estão se destacando atualmente.

O que faz, na prática, uma pessoa UX designer?

Agora que você já entendeu o que é UX Design, precisa saber que profissionais dessa área são responsáveis por desenvolver soluções por meio de descobertas e empatia, atendendo as necessidades de pessoas participantes da experiência. O objetivo é deixá-las satisfeitas antes, durante e depois de sua interação com um serviço ou produto.

Para entender melhor, pense em um produto digital e visualize o percurso que realizou por dentro da experiência. Provavelmente uma pessoa de UX desenhou essa experiência. 

Profissionais de UX precisam pensar em cada pessoa que utiliza este produto. E isso pode incluir pessoas com experiências de vida totalmente diferentes das nossas, ou pessoas com deficiência. 

E essa experiência não se restringe apenas à jornada em produtos digitais. Ela pode englobar toda interação do usuário final (pessoa para qual a experiência final ou produto foi projetado)  com a empresa e seus produtos. 

Perceber o valor do produto, sua facilidade de uso e eficiência na execução de tarefas, entre outras questões são ações que fazem parte do cotidiano de trabalho de um UX Designer. E ele consegue propor soluções  por meio de identificação de problemas, diálogos com a pessoa participante da jornada,  testes, e validações.

Segundo Julio Molina, designer e expert de UX Design na Tera, há diversas rotinas possíveis na área, mas os pontos que continuamente fazem parte de todas elas são diversas entrevistas e validações com usuários:

A pessoa que trabalha como UX designer faz muita pesquisa mesmo, trabalha com processos que envolvem uma extensiva análise de dados. Então é basicamente pesquisar, projetar, entrevistar, aprender, melhorar, entrevistar novamente, medir, melhorar… é um ciclo.

Entre as principais atividades de profissionais dessa área estão:

  • Conduzir entrevistas com pessoas usuárias para a construção de personas, mapa da jornada, mapa de empatia, proposta de valor do produto, entre outras coisas;

  • Analisar a  experiência de uso do produto ou serviço para identificar oportunidades e pontos de melhoria;

  • Apresentar as descobertas do processo e demonstrar como os dados fundamentaram a decisão;

  • Colaborar com outros times ou equipes de Marketing, Produto, Vendas e Business para construir a melhor experiência possível e imaginável, de ponta a ponta;

  • Identificar oportunidades de negócio por meio de pesquisas, entrevistas e análise de dados;

  • Construir protótipos de aplicativos mobile e desktop para testar e validar hipóteses.

Quais são as carreiras possíveis em UX Design?

Ao iniciar sua transição de carreira para UX Design, profissionais encontram as diversas disciplinas de UX e podem escolher atuar de forma generalista — em que participam junto de outros designers da experiência de ponta a ponta — ou como especialistas, atuando em uma única disciplina de UX.

Por isso, parar um minuto para mapear suas habilidades e pontos de aprendizado pode te ajudar a entender melhor sobre disciplinas de UX que se aproximam daquilo que pode te gerar paixão na rotina de trabalho.

Confira a seguir algumas carreiras relacionadas a UX Design. Segundo o portal Vagas.com, os salários que podem variar em entre R$ 3.012,00 e R$ 6.169,00 para profissionais nos primeiros anos de carreira.

UI Designer e  Visual Designer

Sua responsabilidade como UI Designer será traduzir as soluções na jornada do usuário de forma visual, intuitiva e navegável. Por meio da construção de wireframes, protótipos de alta fidelidade e prototipação. Poderá participar também da construção e desenvolvimento de projetos do design system, ou entregar soluções em Freelas de UX.

Visual Designer

Trabalhando como Visual Designer, você terá o desafio de cuidar da aparência do produto ou solução digital. Você pode ter a construção de logotipos, ilustrações e ícones em sua rotina de trabalho. Visual Designers cuidam se concentram no layout de cada local do produto ou solução, para que os elementos se encaixam de forma atraente visualmente.

UI/UX Designer

Sua responsabilidade aqui, será atuar no processo de user experience de ponta a ponta. Desenvolvendo soluções por meio de descoberta, entendimento do problema, desenvolvendo, teste e prototipação.

UX Writer

A Pessoa UX Writer atua como fio condutor na jornada, auxiliando a pessoa usuário a concluir sua jornada com sucesso por meio de soluções em conteúdo, arquitetura da informação, semântica ou chatbots. Essa carreira está próxima também da carreira de Conversacional Designer, onde soluções são convertidas com diálogos e conversas que agregam valor ao usuário. 

UX Researcher

A Pessoa UX Researcher conduz pesquisas com usuários para compreender o problema e sua jornada. Estando frente a frente com as pessoas que a solução vai beneficiar e que o problema a ser solucionado atinge. Estas pessoas também se conectam a como pessoas usuárias usam, utilizam o produto.

Service Designer

Designers de Serviço utilizam Design Thinking e UX Design para aprimorar e desenvolver serviços que tragam valor à jornada do cliente, consumidor ou usuária final.

Voice User Interface (VUI) Designer

Designers de Interfaces de Voz, atuam em projetos de  URA, Chatbots e assistentes inteligentes como Alexa, Siri, e outras. Sua missão é aprimorar a jornada da usuária e garantir uma experiência incrível por meio de soluções de interfaces de voz.

VR/AR Designer 

Designers de realidade aumentada (AR) ou Realidade Virtual (VR) cuidam de experiências imersivas que não se limitam ao mundo físico. E isso pode ir desde um óculos com uma experiência imersiva em outro ambiente, ou atuando em experiências de lojas onde o cliente pode visualizar a roupa em seu corpo antes de comprar.

Uma publicação do Nielsen Group sobre Realidade Virtual mostrou que isso já se tornando realidade no cenário de pesquisas.

Product Designer

Designers de produto atuam como UX Designers na experiência da pessoa usuária. Porém a diferença entre estas duas áreas está na concentração maior de responsabilidades de gerenciamento de produto e visual design. Possui uma visão do produto final.

Designers de interação

Designers de interação cuidam da forma como o produto responde a pessoa usuária. E essa resposta pode ocorrer por meio de animações que podem ser visuais ou estéticas

O blog do time de Design do Google fala ainda de outras carreiras, que começam a aparecer no mercado e podem ganhar destaque nos próximos anos. Entre elas estão Motion Designer e UX Engineer.

Afinal, UX está na moda ou chegou para ficar?

Vamos pensar em um exemplo prático: será que você consegue lembrar de todos os aplicativos que já usou até hoje? Destes, quantos continua usando pelo menos duas vezes por semana? A lista é com certeza muito menor, certo?

Agora pense: o que faz com que você continue usando esses produtos? Eles provavelmente são úteis, ou talvez sejam aplicativos que você utiliza com frequência durante um mesmo dia. No seu celular existem outros aplicativos com as mesmas funções básicas, interfaces sofisticadas e modernas e que não conseguiram capturar sua atenção por muito tempo.

Existem inúmeras redes sociais e mensageiros instantâneos por aí, mas você provavelmente utiliza um ou dois destes mais vezes. E quando falamos sobre a frequência dessa utilização, também estamos falando sobre experiência do usuário. Seja ela boa, quando você utiliza e recomenda, ou ruim, quando você utiliza e não recomenda, por exemplo.

Uma entrevista realizada com designers do time do Google tenta responder a pergunta de milhão: o que é um bom design? Cada profissional mencionou um produto para apontar características relevantes. Trouxemos a seguir alguns exemplos que eles levantaram:

  • é econômico e durável;

  • todas as partes são essenciais;

  • faz o trabalho que precisa;

  • é ‘mágico’, transformando algo complexo em simples;

  • simples, acessível e infalível;

  • minimalista, mas multifuncional.

A demanda cada vez maior por experiências incríveis nos prova a relevância de UX Design.

A qualidade da experiência de forma geral nos mantém fiéis a estes produtos e, em muitos momentos, nos fazendo optar mais por um que por outro, ou mesmo utilizar apenas uma das diversas soluções que temos disponíveis em lojas de aplicativos.

E ter diversas soluções, aplicativos ou produtos digitais para um mesmo problema não quer dizer que uma nova ideia dentro deste ecossistema esteja desatualizada, ou ultrapassada. Diz sobre a quantidade de experiências propondo soluções a este problema, jornada e dores da pessoa usuária.

Em meio a era de abundância e crescimento de produtos digitais, em que muitos produtos acabam se tornando substituíveis. Dados nos mostram o motivo desse interesse em experiência.

Dados divulgados pela Forrester Research mostram que as empresas sem experiências digitais eficazes para o cliente têm menor satisfação, menos negócios repetidos e menor receita.

A usabilidade gera efeito direto na satisfação de clientes, aumentando a disposição de pagar em 14,4%, reduzindo a relutância em trocar de marca em 15,8% e aumentando a probabilidade de recomendar um produto em 16,6%. Isso não poderia deixar de refletir no aumento da busca por esses especialistas.

Quanto ganha um UX designer?

De acordo com o site Vagas.com, a média de salário de UX designer pode variar entre R$3.012 a R$6.169 por mês. Essa é uma média, que pode variar dependendo da empresa e da experiência(senioridade) e o desenvolvimento da pessoa enquanto profissional, como o investimento na própria carreira, com cursos e formações.

E, se você estiver em dúvida sobre senioridades, elas se dividem em: Júnior, Plena e Sênior. O primeiro nível diz respeito ao profissional em início de carreira e com papéis de menor responsabilidade em sua rotina de trabalho. A última senioridade, que aqui chamamos de sênior, está relacionada a profissionais que possuem total domínio de conhecimentos e técnicas em seu cotidiano de UX Design.

Como são as vagas de UX em diferentes tipos de empresa?

Uma pessoa UX Designer pode atuar em diferentes tipos de empresa:

  • Startup ou uma pequena empresa: Startups são empresas novas no mercado que desejam desenvolver um produto e fazê-lo crescer em direção ao mercado. Geralmente startups possuem um número menor de colaboradores. O que dá como ensinamento aos funcionários pode atuar em uma variedade de tarefas rapidamente. Este tipo de empresa têm tido uma crescente na procura por designers generalistas.

  • Freelancer: Designers freelancers comercializam seus serviços para empresas, e clientes. Isso pode garantir a oportunidade de trabalhar com projetos diversos em seu portfólio e realizar projetos em um cronograma adaptável às suas escolhas. 

  • Agências: Assim como Freelancers, UX designers em agências trabalham com marcas e projetos diversos. Porém, a diferença é que, ao trabalhar para uma agência, você trabalhará junto de uma equipe.

  • Grandes empresas: Empresas grandes possuem uma quantidade enorme de funcionários trabalhando em projetos diferentes. Trabalhar em uma grande empresa pode te trazer a oportunidade de trabalhar com profissionais especialistas, e aprender melhor sobre em qual disciplina de UX, quer se especializar. Já possuímos empresas brasileiras na lista de Melhores Empresas para trabalhar com UX.

O QUE ESTUDAR EM UX DESIGN?

Se você quer ser UX designer, o olhar em relação às pessoas é essencial, pois em UX, as soluções são desenvolvidas utilizando design, negócios e humanos. É essencial unir  o conhecimento técnico com competências socioemocionais, pois quando estiver em meio a um processo de design conseguirá tomar decisões que conduzirão a criação de uma boa experiência.

Parece simples, mas muitas vezes recrutadores percebem que encontrar pessoas com habilidades socioemocionais é mais desafiador do que contratar profissionais mais técnicos. 

De modo geral, a capacidade de ter empatia, sintetizar, comunicar ideias e compreender o comportamento humano são mais importantes do que a formação profissional. Veja o que explica o expert de UX Julio Molina:

“Vejo os profissionais de UX como cientistas ou detetives. Acho que são profissionais curiosos por natureza, sempre tentando encontrar melhores maneiras de resolver problemas através de um olhar cético sobre as verdades que a maioria das empresas e produtos trazem”.

Profissionais de UX não possuem uma base tradicional, pois são multidisciplinares e vieram de diversas áreas. É possível vir de áreas como Comunicação, Engenharia, Jornalismo, Psicologia entre outras. Você encontrará estes casos na comunidade de UX ou em seu bootcamp de UX, e por lá estudará e se desenvolverá com diversas pessoas vindas de áreas como as que falamos acima, ou até mesmo a sua.

Como se tornar UX Designer?

Se você quer começar em UX Design, existem alguns passos importantes que podem impulsionar sua carreira na área e ajudar você a conquistar as melhores oportunidades. Veja algumas dicas que separamos.

1. Estudar experiência de pessoas usuárias 

Começar pelos conceitos e teorias da área de UX é uma excelente forma de imergir nessa filosofia que prioriza as experiências das pessoas usuárias. Alguns pontos de partida são:

  • Arquitetura da informação: que estuda como organizar o caminho de um usuário até a informação;

  • Design thinking: a mentalidade de pensar fora da caixa para fornecer soluções inovadoras;

  • Design Sprint: um método de tocar projetos de maneira ágil e adaptável às mudanças;

  • Outros métodos ágeis: Scrum, Agile e Lean UX são comumente usados em empresas.

A disciplina de UX Design conta com grandes especialistas, profissionais que desenvolveram e moldaram as melhores ideias e práticas da área. Por isso, vale muito a pena investir na leitura de artigos de John Maeda e Don Norman.  E com o tempo, você terá também seus nomes de especialistas que não saem da leitura semanal, ou em uma conversa sobre UX.

2. Dominar ferramentas úteis para o dia a dia

UX Design está longe de ser uma área ferramental. As ferramentas são apenas meios para que você alcance seu objetivo de desenvolver soluções empáticas. Por isso, é importante conhecer quais podem ser úteis para o seu trabalho. Separamos algumas:

  • Miro e Mural: ambientes de trabalho colaborativos em Design;

  • Figma e Adobe XD: desenvolvimento  de protótipos;

  • Canvas: visualização de jornadas de usuário e apresentações

3. Fazer um curso de UX Design


Entre os caminhos para se tornar user experience design está o aprendizado autodidata, afinal, existem diversos conteúdos que explicam o que é UX Design e como profissionais podem desenvolver uma mentalidade de pensar na experiência de pessoas usuárias.

Ser autodidata é um dos principais caminhos para se tornar User Experience Designer, pois diariamente conteúdos interessantes estão sendo desenvolvidos na Comunidade de UX e novas metodologias e experiências são compartilhadas.

A formação em UX, qualquer que seja ela, deve partir do princípio de que o ser humano é o fim e não um meio para atingir propósitos organizacionais. 

Profissionais dessa área precisam ter a consciência de que as organizações deixaram de apenas produzir e vender para, em vez disso, resolver problemas e aproveitar oportunidades que melhorem a qualidade de vida das pessoas.

É possível já encontrar muito conteúdo gratuito sobre UX Design na internet. Porém, se você cogita uma carreira na área, fazer um curso de UX Design vai oferecer vantagens, como:

  • Aprender a  sobre a base técnica da área;

  • Absorver a visão de experts sobre esse mercado;

  • Conhecer outras pessoas do Brasil e, porque não, do mundo;

  • Entender quais competências você precisa desenvolver;

  • Saber como atuar com propósito e de forma ética para desenvolver experiências;

  • Aprender fazendo com atividades práticas que vão te preparar melhor para o dia a dia de uma empresa;

  • Trocar experiências com estudantes e criar uma rede de contatos na área;

  • Visualizar estudos de caso reais, para entender como funciona na prática.

Dividir e aprender sobre experiências em UX vai te ajudar a estar perto da comunidade de UX, de pessoas que estão no mesmo processo de migração ou início de aprendizado como você.

4. Desenvolver competências socioemocionais

Existem algumas qualidades que integram o perfil de UX Designers de sucesso. São as chamadas soft skills: competências socioemocionais que impactam positivamente o trabalho do dia a dia. Algumas soft skills para UX designers são:

  • empatia;

  • resiliência;

  • postura facilitadora;

  • atenção às tendências;

  • curiosidade para aprender;

  • comunicação eficaz;

  • trabalho em grupo;

  • pesquisa;

  • análise e síntese;

  • criatividade e ideação;

  • coragem para correr riscos.

Mesmo que você ainda não tenha todas essas soft skills bem desenvolvidas, sempre é tempo de buscar uma evolução.

5. Participar da comunidade de UX

A comunidade de UX está crescendo no Brasil e no mundo, à medida que vai ganhando força no mercado. Grupos em redes sociais, canais de discussão e blogs são locais  que você tem para participar dessa comunidade, conhecer profissionais e criar uma rede de aprendizagem e oportunidades.

6. Construir um portfólio atraente

Conforme seu conhecimento for aumentando, você poderá ir em busca de vagas de UX Design ou algumas das áreas correlatas. Para aumentar suas chances de se colocar nesse mercado, é fundamental ter um portfólio atraente, que mostre tudo que você pode oferecer como profissional.

Você pode criar seus próprios desafios, usando exemplos reais ou fictícios, para apresentar soluções. Se você fizer um curso, as atividades e projetos que serão desenvolvidos nele com certeza servirão para integrar seu portfólio de UX designer.

7. Entender o que as vagas estão pedindo

Como entender mais a fundo o que você precisa para entrar no mercado de UX Design? Uma boa dica é analisar as vagas que estão disponíveis no Glassdoor, em portais de recrutamento e no LinkedIn. Ao observar diversas vagas, você vai encontrar padrões e descobrir os princip

8. Buscar “fit” nas oportunidades disponíveis

Quando chegar a hora de se inscrever nas vagas de UX Design, é importante entender qual o seu fit com cada oportunidade que aparece. Isso significa avaliar tanto o perfil da empresa, quanto às responsabilidades da vaga e o tipo de projeto em que você irá atuar. 

A análise da oportunidade também deve ser sua e não somente da empresa, para que você trabalhe em um ambiente que te inspira e gera aprendizados importantes para a carreira.

9. Estudar sobre o mercado

Por fim, um passo importante para se tornar UX Designer é procurar informações e aprendizados sobre esse mercado e como está funcionando atualmente. Compreendendo sobre as vantagens e desafios que ocorrem no setor.

Assinar newsletters, seguir blogs e páginas são passos que podem te ajudar a se aproximar e ter contexto sobre o mercado e as tendências de UX Design. Pois assim, conseguirá também ir em busca de oportunidades e desafios que façam sentido para você.

Ao mesmo tempo que UX paga bons salários e pode trazer experiências satisfatórias em projetos, o trabalho também pode cobrar bastante. Por isso, o que deve prevalecer na sua decisão é o gosto pela área e o desejo de ajudar pessoas.

….

Esperamos que este conteúdo tenha ajudado você a ampliar sua visão sobre o que é UX Design e como uma carreira nessa área pode ser promissora no contexto atual do mercado digital. 

Quer mergulhar em UX Design? Convidamos você a conhecer o curso de User Experience Design da Tera. Entre em contato com nossa equipe e descubra como podemos te ajudar a dar um salto em sua carreira com aulas ao vivo com experts de mercado.

QUERO PARTICIPAR